11 99231-6498
Language:
Apresentação
11 99231-6498
SIGA-NOS

Notícias

Regimento Deodoro de Itu completa cem anos

A unidade militar Regimento Deodoro de Itu completa, no dia 20 de janeiro, cem anos de serviços sob a denominação de 2º Grupo de Artilharia de Campanha Leve, com o comando do Coronel Erb Lyra Leal.
 
O evento, que comemora a data, às 8 h do próximo dia 20, aberto ao público, terá formatura da tropa na praça em frente ao quartel e inclui a cerimônia de troca de comando com o anúncio do novo comandante do Regimento Deodoro, Tenente Coronel Ricardo Alves Pereira.
 
Pereira dirigia a Escola de Comando do Estado Maior do Exército, no Rio de Janeiro e agora vai comandar o 2º Grupo de Artilharia de Campanha Leve de Itu cujo atual contingente conta com 50 oficiais superiores, cerca de 100 sargentos, 100 cabos e soldados e 250 recrutas.
 
História
 
A história do Quartel de Itu começou em 20 de janeiro de 1918, quando, com a presença maciça da população ituana, o Pavilhão Nacional foi hasteado pela primeira vez na fachada do quartel. O Regimento foi instalado com um contingente de apenas 29 homens, sob o comando do Ten Cel Raphael Clemente Telles Pires, sendo esta a data considerada como aniversário da Unidade.
 
Em 1919, recebeu a denominação de 4º Regimento de Artilharia Montada (4º RAM), tendo participado da Revolução Constitucionalista de 1932. Em setembro de 1942, durante os dias amargos da II Guerra Mundial, o 4º RAM deslocou-se, via férrea, até o Rio de Janeiro, com o efetivo de guerra do seu 2º Grupo. Nessa ocasião, escoltado por embarcações e aviões militares, seguiu a bordo do navio Almirante Alexandrino para a cidade de Recife-PE.
 
Em seguida, deslocou-se para Maceió-AL, a fim de cumprir missão de guerra. O Regimento, destacado em Pontal do Coruripe e Porto de Pedras, manteve-se em condições plenas de defender o nosso território. Cabe ainda ressaltar que militares do 2º Grupo do 4º RAM embarcaram para a Itália, integrando a Força Expedicionária Brasileira. Em 1948, o 4º RAM passou a se chamar 2º Regimento de Obuses 105.
 
Dois anos mais tarde, em 1948, recebeu a denominação histórica de Regimento Deodoro, por solicitação da própria comunidade ituana ao Presidente da República. O nome prestava homenagem ao Marechal Manuel Deodoro da Fonseca, que proclamou a República, pois a cidade de Itu foi um dos berços dos pensamentos republicanos.
 
Em 1972, o Regimento, recebeu seu novo equipamento de guerra: o Obuseiro Autopropulsado l05mm M 108. Cinco anos mais tarde, em 1977, a Unidade recebeu a denominação de 2º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, ficando-lhe adida a 11ª Bateria de Artilharia Antiaérea.
 
Em 1º de março de 2005, fruto da reestruturação da Força Terrestre, o Regimento Deodoro foi renomeado como 2º Grupo de Artilharia de Campanha Leve. Seu material passou a ser o moderno e versátil obuseiro Otto Melara, de 105 mm.
 
O Quartel de Itu participou ativamente de recentes operações de pacificação do Exército Brasileiro. Nos anos de 2010 e 2012 integrou as forças de pacificação do complexo da Penha e do Alemão, no Rio de Janeiro para combater o narcotráfico que se instalou na região. Em 2014, integrou novamente a Força de Pacificação do Rio de Janeiro, nas operações no Complexo da Maré.
 
Em 2013, o Regimento Deodoro realizou sua primeira missão internacional ao participar do 19º Contingente do batalhão Brasileiro de Força de Paz das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti. Em seis meses, 96 militares participaram efetivamente de operações para a reestruturação do país mais pobre da América Latina.
 
Em 2014, após 37 anos, a 11ª Bateria de Artilharia Antiaérea deu adeus ao Regimento Deodoro ao ser transferida para a guarnição de Ponta Grossa-PR. Ela é agora subordinada à 5ª Brigada de Cavalaria Blindada.
 
Diante de todos esses fatos históricos, pode-se afirmar o quanto é tradicional esta Unidade, tanto no ensino quanto no trabalho militar. Ao longo de sua existência, o Regimento Deodoro tem sido um celeiro na forja do caráter da juventude.
 
Museu
 
O Museu do Regimento Deodoro, criado em 1998, possui um acervo histórico que relata parte da história do Exército Brasileiro em conjunto com o antigo colégio São Luís.

O acervo possui diversos tipos de materiais, com destaque para: troféus da década de 30; uniformes militares do início do século XX e equipamentos/utensílios que foram utilizados pelos soldados na 2ª Guerra Mundial.

O prédio possui um pátio interno amplo e bem preservado, com largos corredores que remontam o passado. Ao lado do museu, a Igreja São Luís Gonzaga forma o conjunto arquitetônico do complexo centenário.

O 2º GACL está aberto para receber o público para visitação no Espaço Cultural Domingos Fernandes (Museu, Exposição de fotos e Igreja), nas seguintes condições:

Sábados, domingos e feriados
Horários: 09:00 às 12:00 e 13:00 às 16:00 horas.
Para grupos, em dias úteis, a visita acontecerá mediante agendamento prévio.
Para mais informações: (11) 4022-1184 Ramal 204 - Comunicação Social ou pelo site: http://www.2gacl.eb.mil.br/index.php/inicio
 
Igreja
 
A igreja São Luís Gonzaga foi inaugurada em 1891 pelos padres jesuítas como Capela dos alunos do antigo colégio São Luís. Em 1918, com a transferência do colégio para São Paulo, a comitiva jesuíta levou todo o seu material litúrgico, mobiliário e imagens religiosas para a capital.

Com a acomodação do 4º RAM (Regimento De Artilharia Montada) em Itu, a igreja São Luís Gonzaga serviu como alojamento para os militares.

Apenas em 1979, após uma grande restauração, a Igreja São Luís voltou a ser usada como determinavam as suas origens, sendo reaberta para a população ituana. 

Em 2008, após segunda reforma, foram descobertas pinturas feitas pelos jesuítas, escondidas sob várias camadas de tinta, revelando obras de grande valor histórico e artístico. É a única igreja da região que possui as imagens de Frei Galvão e Madre Paulina.
 
Foto 1 - Prédio do Regimento Deodoro - Quartel de Itu

Foto 2 - O centenário Regimento Deodoro foi comemorado com festa

Foto 3 - Vista aérea da unidade militar

Foto 4 - Tropa em formação