11 99231-6498
Language:
Apresentação
11 99231-6498
SIGA-NOS

Notícias

É primavera. Um bom motivo para conhecer o Roteiro dos Bandeirantes

Antigamente uma aventura, agora um passeio
 
Se você gosta de história e quer conhecer os caminhos históricos feitos há séculos pelos homens que desbravaram o interior do Estado de São Paulo, não pode perder essa dica. Essa é uma viagem pelo interior e pela história de São Paulo. O Roteiro dos Bandeirantes é o traçado por onde passaram os desbravadores que partiram da Vila de São Paulo de Piratininga em suas andanças pelo então desconhecido território nacional.

O Roteiro dos Bandeirantes engloba seis cidades paulistas e promete uma interessante viagem. São 180 quilômetros, partindo de Santana do Parnaíba, passando pelas cidades de Pirapora do Bom Jesus, Cabreúva, Itu, Salto e Porto Feliz.

As cidades do Roteiro fazem parte de um pólo de referência histórico-cultural para todo Brasil. São museus, fazendas, trilhas e caminhos dignos de serem explorados por novos desbravadores.
A viagem é uma excelente oportunidade para o visitante se aprofundar na história do Brasil, pisando nas mesmas terras por onde passaram personagens como Bartolomeu Bueno da Silva – O Anhanguera e Fernão Dias Paes Leme, o Caçador de Esmeraldas.
Cidades do Roteiro dos Bandeirantes
 
Santana do Parnaíba

É o ponto de partida para os cerca de 180 quilômetros da rota. Distante 40 quilômetros de São Paulo, foi fundada às margens do Tietê em 1580. Era de lá que saía o movimento das bandeiras rumo ao sertão. A cidade apresenta o maior conjunto arquitetônico preservado do Estado. 

A cidade apresenta o maior conjunto arquitetônico preservado do Estado, com 209 construções dos séculos XVII ao XX. Entre elas a Casa do Anhanguera; e a Igreja Matriz Nossa Senhora de Santana, que conserva uma imagem de São Benedito, exemplar do dito "santo de pau oco" utilizado para despistar a fiscalização da Coroa Portuguesa no contrabando de ouro na época da mineração.

Em Santana do Parnaíba, é indispensável um passeio pelo centro histórico da cidade, que preserva casarões do século XVII, igrejas e museus.
Centro de Informações Turísticas:
Telefone: (11) 4154-1874

Pirapora do Bom Jesus

Localizada 14 quilômetros adiante de Santana está Pirapora do Bom Jesus, cuja história tem início em 1725, quando pescadores encontraram a imagem de Cristo - agora exposta no santuário - apoiada numa pedra às margens do Rio Anhembi, depois Tietê.

No início, Pirapora foi um vilarejo missionário e sua importância esteve atrelada à função religiosa. Posteriormente, passou a ser um polo de atração de romeiros. Na praça principal é possível apreciar o tradicional samba de roda de Pirapora, considerado por Mário de Andrade como a raiz do samba paulista.

Em Pirapora do Bom Jesus, cidade-berço do samba paulista, a atração é a dualidade do forte apelo religioso e do regresso da festa do Samba de Roda.
Centro de Informações Turísticas: Telefone: (11) 4131-1211
 
Cabreúva

O nome é originário do tupi-guarani, caburéyba, e significa, segundo Teodoro Sampaio, "a árvore do caburé" ou, ainda, "pinga com ovo batido". Fundada no início do século 18 pela família Martins e Barros, que ali plantava cana-de-açúcar, Cabreúva ficou conhecida como a "Terra da Pinga". Localizada a 78 quilômetros da capital paulista, a cidade virou também opção de turismo ecológico e de aventura, pois esta dentro de uma área de preservação ambiental com muitas cachoeiras, grutas, trilhas para passeios a cavalo e pesqueiros.

Em Cabreúva o visitante encontrará Alambiques que produzem além da cachaça, produtos artesanais como doces, licores etc.
Centro de Informações Turísticas:
Telefone: (11) 4528-5016

Itu 

Berço da República, Roma Brasileira, Cidade dos Exageros, Ouro Preto Paulista, Cidade Cinema, Vale do Sol. Esses são alguns dos apelidos de Itu, famosa por sua história, religiosidade e belezas naturais. Graças ao comediante Simplício, Itu ficou famosa como a cidade dos exageros. O patrimônio histórico é imenso, incluindo arquitetura do século XVIII. É grande o número de Museus com destaque para o Republicano que retrata até hoje os passos do levante republicano contra o Império – a conhecida Convenção de Itu. As Igrejas são o grande destaque e as Fazendas históricas com diversas casas bandeirantistas também proporcionam aos turistas dias de vida rural.
 
Salto 

O antigo povoado de Salto surgiu de um aldeamento de índios guaianazes localizado na margem do Rio Tietê em 1695. Igaçabas (urnas funerárias indígenas) e objetos com mais de 300 anos foram achados em escavações e são atribuídos à tribo. Parte desses objetos está no museu da cidade. Um dos atrativos da região é o Parque Rocha Moutonnèe, o primeiro ecológico e geohistórico do continente. Ele ajuda a preservar o monumento geológico Rocha Moutonnèe, que testemunhou a glaciação ocorrida há 270 milhões de anos, quando, se acredita, a parte leste do Estado era um enorme bloco de gelo.

Em Salto, vale a pena admirar toda a majestade do Monumento à Padroeira, com 38 metros de altura em concreto armado.
Centro de Informações Turísticas:
Telefone: (11) 4028-2570

Porto Feliz 

No século 16, o porto de Araritaguaba era utilizado como ponto de partida dos Bandeirantes em busca de índios para escravizar. O povoado, fundado em 1721, foi elevado à categoria de vila e "batizado" de Porto Feliz em 1797. Entre suas referências turísticas destacam-se o Parque das Monções, a Casa da Alfândega e um sobrado do século 19, onde funciona o Museu Histórico e Pedagógico das Monções. Dentro do Parque das Monções estão o Paredão Salitroso de rocha sedimentar, a Gruta Nossa Senhora de Lourdes e o Monumento das Monções.

Em Porto Feliz, terra das monções (expedições que utilizavam rios para fazer a comunicação entre as capitanias), não deixe de visitar o Parque das Monções.
Centro de Informações Turísticas:
Telefone: (15) 3262-3026