11 99231-6498
Language:
11 99231-6498
SIGA-NOS

Cronologia

​HISTÓRIA E CRONOLOGIA DE ITU

Itu é uma cidade com um legado histórico abençoado e privilegiado, pois tem até uma “certidão de batismo oficial”. Seu fundador, o sertanista Domingos Fernandes, nascido em Santana de Parnaíba, aos 67 anos, escreveu um testamento, ditado a um escrivão em 12 de dezembro de 1652, no qual inseriu as origens do povoado do Outuguassu. Faleceu no ano seguinte, em meados de 1653. Segundo pesquisa do historiador Prof. Roberto Machado Carvalho, nesse testamento consta a data de 2 de fevereiro de 1610 que registra a construção da capelinha em louvor a Nossa Senhora da Candelária onde hoje esta o imponente Santuário do Bom Jesus, na praça Padre Anchieta.

A região estava sob jurisdição da vila de São Paulo. Todavia, quinze anos depois, em 1625, com o desmembramento de Santana de Parnaíba de São Paulo, Itu passou a pertencer a Santana. Mas, pouco tempo depois, em 1657, também foi elevada a Vila, com direito de instalar sua Câmara Municipal. Com a emancipação, passou a administrar os atuais municípios de Porto Feliz (até 1797), Cabreúva e Indaiatuba (ambos até 1859), Montemor (até 1871), Salto (até 1889) e Elias Fausto (até 1945).

Voltando ao ano de 1610, quando Domingos Fernandes, com apenas 17 anos, já tinha experiência sertaneja. Em 1602, por exemplo, participou de uma das maiores Bandeiras paulista chefiada por Nicolau Barreto. Para se ter uma ideia dessa grande expedição, basta lembrar que os mais importantes sertanistas do século XVII participaram dela, além de centenas de portugueses, mamelucos paulistas e índios. A viagem durou dois anos e além de ocupar terras da Espanha, no atual Estado do Paraná, região de Guaíra, contribuiu para a expansão geográfica do Brasil e trouxe muitos índios para as lavouras do Planalto.

Uma grande parte dessa nova mão de obra foi para as terras de Domingos Fernandes, a Outu-Guassu. Dessa forma, antes mesmo da inauguração da capelinha, já havia povoadores pela região de Itu. Quando a capela ficou pronta, o fundador trouxe mais gente, incluindo seus familiares.

O que mais impressiona no Testamento de Domingos Fernandes, além do espírito religioso, foram os cuidados com a capela, símbolo da fundação de Itu. Só mesmo seus esforços explicam a licença obtida para elevá-la a capela curada, em 1644, com direito a capelão. Em 1653, com a elevação a freguesia, Itu passou a ter, oficialmente, o seu vigário. Pouco tempo depois, em 1657, ganhou o estado de vila e assim permaneceu por quase duzentos anos. Em 5 de fevereiro de 1842, a vila foi elevada a cidade.

Quando se torna paróquia independente de Santana de Parnaíba, em 1694, o primeiro vigário de Itu foi Padre Felipe de Campos que tratou de substituir a velha capela (local da Igreja do Bom Jesus), então Matriz da cidade, pelas obras da majestosa Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária, atual Matriz, inaugurada em 1780.
Roberto Machado Carvalho, formado em História pela USP é importante historiador da cidade de Itu com vários livros publicados onde retrata a história e o patrimônio cultural do município.

Foi presidente do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Entre 2001 e 2004 foi Secretário Municipal de Cultura de Itu. Foi, também, Secretário do Tribunal Eclesiástico das Causas de Canonização de Dom Gabriel e do Padre Bento.
 

​Cronologia da história de Itu

Resumo cronológico destaca os fatos que marcaram a história da cidade.

Por Jonas Soares de Souza - Pós-graduado em História Social e Especialista em Patrimônio Cultural, é pesquisador-docente do Museu Paulista da Universidade de São Paulo (Museu do Ipiranga e Museu Republicano de Itu), membro do ICOM - International Council of Museums e da AIMH - Association Internationale des Musées d'Histoire. Também escreveu diversos livros sobre Itu.
 
1553 – Jesuítas criam a aldeia de Maniçoba, habitada por índios Carijós, nas imediações da atual cidade de Itu.

1588 /1610 – O sertanista Clemente Álvares explora a região em busca de ouro.

1604 – Estabelecimento de colonos nas terras chamadas de Utu-Guaçu.

1610 – Em 2 de fevereiro é inaugurada a capela dedicada a Nossa Senhora da Candelária, edificada por ordem de Domingos Fernandes, considerada a data da fundação da povoação.

1653 – Itu torna-se freguesia de Santana do Parnaíba.

1657 – Itu é elevada a vila da então Capitania de São Vicente.
            Criação da primeira Câmara de vereadores.

1680 – Chegada dos frades franciscanos.
            Itu se torna a vila mais populosa da Capitania de São Vicente.

1718 – Chegada dos frades carmelitas.
            Ituanos participam da descoberta das minas de ouro de Cuiabá.

1760 – Desenvolvimento da cultura da cana-de-açúcar e construção dos primeiros engenhos.

1771 – Importação de mão-de-obra africana.

1780 – Inauguração da atual Matriz de Nossa Senhora da Candelária.

1790 – Multiplicam-se os engenhos de açúcar. Nessa época, registra-se grande crescimento da população e, no plano urbanístico, a formação da maior parte das ruas centrais da vila.

1805 – Início da construção da Igreja N. Sra. do Patrocínio.
            Itu é considerado o maior centro produtor de açúcar da região Sul do Brasil.

1811 – Criação da Comarca de Itu pelo Alvará de 2 de dezembro.

1812 – Tecelagem de algodão em instalações domésticas ocupa quase uma centena de famílias.

1822 – Padres, políticos e fazendeiros de Itu exercem papel influente no movimento da Independência Política do Brasil.

1823 – D. Pedro I concede a Itu o título de Fidelíssima.

1841 – Nascimento de José Prudente de Moraes Barros, futuro presidente do Brasil.

1842 – Itu é elevada à condição de cidade.
            Ituanos participam da Revolução Liberal.

1850 – Nascimento do pintor José Ferraz de Almeida Júnior.

1854 – Engenhos de Itu alcançam a maior produção de açúcar de sua história.
            O município se destaca como um dos mais ricos da Província.

1859 – Inauguração do Colégio Nossa Senhora do Patrocínio.

1866 – Começa a circular A Esperança, primeiro jornal de Itu.

1867 – Inauguração do Hospital da Santa Casa de Misericórdia.
            Início das aulas do Colégio São Luís, ocupando as dependências do Convento Franciscano.

1869 – Fundação da Fábrica São Luiz.

1872 – Colégio São Luís é transferido para instalações próprias. Em 1917 mudou-se para São Paulo.

1873 – Inauguração da Estrada de Ferro Ituana.
            Realização da Convenção de Itu, primeiro encontro de republicanos paulistas.
            Francisco Glicério e Francisco Quirino dos Santos, com a participação de republicanos, fundaram outra Loja Maçônica Beneficência Ituana.

1884 – Inauguração do Cemitério Municipal.
            Início da Iluminação a gás.

1886 – Imigrantes italianos chegam para trabalhar nas lavouras de café.

1889 – Câmara de vereadores realiza sessão solene em 17 de novembro aderindo à República.

1890 – O café substitui o açúcar como principal fonte da economia do município.

1905 – Inauguração do Mercado Municipal.

1906 – Início da iluminação elétrica.

1910 – Fundação da Fábrica de Tecidos São Pedro.

1911 – Inauguração do Cinema Parque, o primeiro da cidade de Itu.

1918 – Ministério da Guerra compra as instalações do Colégio São Luís para a instalação do 4º Regimento de Artilharia Montada.

1920 – Instalação do Quartel do 4º Regimento de Artilharia Montada.

1922 – Inauguração da estrada ligando Itu a Cabreúva.

1923 – Inauguração do Museu Republicano Convenção de Itu (USP), primeiro museu do interior do Estado de São Paulo.
            Fundação do Ituano Clube.

1924 – Inauguração do Instituto Borges de Artes e Ofícios.

1926 – Início da circulação do jornal O Ituano.

1932 – Início das operações da Estação Telegráfica do Departamento de Correios e Telégrafos.
            Criação do Ginásio do Estado, hoje, EE Regente Feijó.

1933 – Fundação da primeira Associação de Trabalhadores Têxteis de Itu, transformada em sindicato em 1944.

1935 – A cafeicultura ituana atinge o máximo de sua produção.

1946 – Inauguração do edifício próprio da Agência de Correios e Telégrafos, na Praça da Independência.
            Inauguração da Rádio Emissora Convenção de Itu.

1950 – Instalação de indústrias cerâmicas.

1951 – Construção do Paço Municipal, na Rua Barão de Itaim nº 140, hoje, sede do Centro de Estudos da USP – Biblioteca Edgard Carone.

1957 – Fundação da Associação Comercial e Industrial de Itu.

1958 – Lançamento da pedra fundamental da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Nossa Senhora do Patrocínio, núcleo inicial do Ceunsp.

1960 – Fundação da Associação do Comércio Varejista de Itu.

1969 – Fundação da Faculdade de Direito de Itu (Faditu).

1970 – Abertura das rodovias Castello Branco e do Açúcar acelera o crescimento industrial de Itu.

1983 – Inauguração do Hospital São João de Deus, anexo ao edifício histórico da Santa Casa de Misericórdia de Itu.

1989 – Inauguração do Espaço Cultural Almeida Júnior.

1995 – Inauguração do Parque do Varvito.

2008 – Inauguração da Faculdade de Tecnologia (Fatec).

2010 – Itu comemora quatro séculos de sua fundação.